POLÊMICA

Apresentadora da Gazeta é acusada de ‘comprar’ reportagens com fotos íntimas de jornalistas

Bruno Pinto

Graves acusações, que ligam a participação direta de Michelle Gianella, que além de apresentadora é gerente de esportes da Gazeta, a um esquema de compra entrevistas por meio de envio de fotos íntimas de jornalistas, está deixando os executivos da emissora paulista de cabelos em pé. O caso foi ganhando cada vez mais força e evidências após diversos ex-colegas da acusada revelarem detalhes de como tudo acontecia nos bastidores das reportagens.

Uma repórter, que alega ter sofrido na pele, por diversas vezes, com a forma nada correta de se propor uma entrevista a um atleta, fez um desabafo: “Quando finalmente já estava fora de moda esse tipo de coisa, tive que ouvir um absurdo desse de uma mulher. Ela falava com sorriso no rosto. Me senti uma incompetente que só conseguiria trabalhar se mostrasse o corpo”, disse a profissional, que preferiu manter sua identidade em sigilo em entrevista ao portal UOL.

Sem medo de dizer o que sabe, o jornalista Guilherme Camarada, que prestou seus serviços por mais de uma década na Gazeta, não só confirmou o relato da colega, como fez questão de expor sua indignação com a forma tranquila como Michelle fazia o pedido as repórteres: “Ela disse para a jornalista enviar uma foto de biquíni para conseguir entrevista. E o mais inacreditável é que ela fala na frente de todo mundo, como se fosse natural”, contou.

Procurada pelo site, Michelle Gianella desmentiu as informações e afirmou que jamais iria se submeter, muito menos submeter terceiros, a esse tipo de coisa: “Isso não existe, isso é mentira. Eu sou mulher, eu estou há 24 anos neste trabalho e eu nunca usei o meu corpo para me expor ou para eu conseguir alguma coisa com algum atleta. E falar para uma mulher mandar foto de biquíni para um assessor? Pelo amor de Deus, gente, não tem isso”.