Ex-ministro Milton Ribeiro diz à filha que Bolsonaro avisou sobre operação da PF

Vitor Caique

Em um diálogo telefônico interceptado pela Polícia Federal, com autorização judicial, o ex-ministro da Educação, o pastor Milton Ribeiro contou à filha que recebeu do presidente Jair Bolsonaro, passando a informação sobre provável busca e apreensão, operação que aconteceu contra o mesmo.

Na mensagem, Milton Ribeiro e sua filha demonstram preocupação de estarem sendo gravados pela PF em uma possível investigação, como a que levou à prisão do ex-ministro na última quinta-feira (23).

As informações sobre a a ligação foram divulgadas e veiculadas na GloboNews, que ainda mostrou um trecho da escuta telefônica durante o programa “Estúdio I”, na tarde desta sexta-feira (24).

Investigação no STF

A Justiça Federal de Brasília atendeu a um pedido do Ministério Público Federal, e decidiu encaminhar ao Supremo Tribunal Federal (STF), a investigação sobre o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro por suspeita de envolvimento dele, e de alguns pastores em um esquema para liberação de verbas da pasta. O pedido do Ministério Público foi baseado em conversas de Milton com terceiros, gravadas com autorização da Justiça, e que segundo procuradores, são indícios de que o presidente Jair Bolsonaro teve interferências na investigação.

Conversas telefônicas

As conversas telefônicas de Milton Ribeiro foram gravadas com autorização da Justiça. Um dos trechos, é com o pastor conversando com sua filha, ligação que aconteceu no dia 9 de junho, com quase 4 minutos de duração. Os áudios levantam indícios de que o ex-ministro foi avisado sobre a operação com antecedência e de que houve interferência.

“A única coisa meio… hoje o presidente me ligou… ele tá com um pressentimento, novamente, que eles podem querer atingi-lo através de mim, sabe? É que eu tenho mandado versículos pra ele, né?”, disse o ex-ministro para a filha, no trecho está em investigação da Polícia Federal. “Ele quer que você pare de mandar mensagens?”, rebateu a filha. “Não! Não é isso… ele acha que vão fazer uma busca e apreensão… em casa… sabe. É… é muito triste. Bom! Isso pode acontecer, né? Se houver indícios né?”, afirmou Milton Ribeiro.