Que missões são essas?

Bolsonaro volta a falar sobre facada em propaganda política: ‘Escapei pela mão de Deus’

Vitor Caique

Em passagem por Juiz de Fora, Minas Gerais, o presidente Jair Bolsonaro participou de um culto evangélico, discursando sobre alguns acontecidos e relembrando mais uma vez sobre o possível atentado que sofreu durante sua campanha eleitoral, em 2018. O político retornou a cidade pela primeira vez desde que foi “atacado” por um golpe de faca, afirmando que tudo aconteceu porque ele tinha cumprir uma missão.

“Em Juiz de Fora, eu lembro todos os passos daquele dia. Procurei meu colete, não achei, eu tinha que cumprir uma missão… Comecei a andar pelo Brasil em novembro de 2014, aconteceu, quando levei aquele baque na barriga e caí, eu queria continuar. Falava para o pessoal da segurança: alguém me deu um soco, vamos em frente. O sangramento naquele caso é para dentro, não para fora”, comentou Bolsonaro, se lamentando mais uma vez sobre o acontecido que ocorreu há cerca de 4 anos atrás.

Bolsonaro continuou falando sobre sua experiência “de quase morte”. “Depois de quase quatro anos, eu retorno a Juiz de Fora. A maioria dos médicos que me viram naquele estado me disseram de cada 100 pessoas levaram aquela facada, um teria chance de sobreviver… Alguns acham que é sorte, eu acho que é a mão de Deus. Ou melhor, eu tenho certeza!!!”, afirmou o presidente, “puxando o saco” dos religiosos presentes no local.

Jair finalizou falando sobre sua vida, e dizendo que certos acontecidos ele é incapaz de explicar, afirmando que “só Deus explica” algumas situações. “Acho que certas coisas, só Deus explica. Minha vida está recheada dessas coisas”, finalizou. Além do culto na cidade, Bolsonaro ainda participou de uma “motociata”, fez uma visita ao hospital que foi atendido em 2018, e caminhou pelas ruas mineiras.