Provocou jornalista

Bolsonaro pergunta se jornalista não estudou português e se irrita com crime em Foz do Iguaçu

Vitor Caique

Na manhã desta segunda-feira (11), o presidente Jair Bolsonaro (PL) conversou com jornalistas, dizendo que não tem nenhuma ligação com o crime em Foz do Iguaçu, além de falar sobre não ter nada a ver com o assassinato de Marcelo Arruda, caso que ocorreu no último sábado (9). O político foi questionado sobre ocorrido, pois segundo testemunhas que estavam na festa que a vítima estava, que tinha como tema o Partido dos Trabalhadores (PT), o acusado teria invadido o local aos gritos de “Aqui é Bolsonaro”, deixando claro que é um aliado do atual governo.

“Quando o Adélio me esfaqueou, ninguém falou que ele era afiliado ao PSOL. O que eu eu tenho a ver com a com esse episódio de Foz do Iguaçu? Nada… Somos contra qualquer ato de violência. Eu já sofri disso na pele, a gente espera que não aconteça, obviamente. Espero que não aconteça. Agora, o histórico de violência, não é do meu lado. É do lado de lá”, rebateu o presidente da república, que se irritou com os questionamentos.

Bolsonaro ainda foi perguntado sobre suas polêmicas falas em 2018, quando disse sobre “fuzilar a petralhada”. Desconfortável com as perguntas, o ex-militar comentou que as palavras tinham sido no sentido figurado, a ainda foi “grosso” e rude com uma jornalista.

“Sabe o que é sentido figurado? Você estudou português na sua faculdade, ou não?”, questionou Bolsonaro à jornalista. O presidente continuou com a resposta sobre o assunto. “Olha, o Lula defende ladrões de celular, que é para tomar uma cervejinha. Aí tá claro que ele está estimulando roubo de celular!!!”, afirmou Bolsonaro.