Apoio

Mulheres que denunciaram Marcius Melhem se manifestam sobre assédios na Caixa

Vitor Caique

União de mulheres! Cerca de 10 mulheres que denunciaram o ex-ator e diretor da Globo, Marcius Melhem, por assédio sexual, mandaram uma carta aberta em apoio às vítimas do ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. O executivo foi acusações de toques íntimos, convites inadequados e assédio moral, fatos que se tornaram públicos pelo colunista Rodrigo Rangel do portal “Metrópoles”.

O caso que ocasionou na demissão de Pedro já está sendo investigado pelo Ministério Público Federal (MPF), e cerca de cinco funcionárias do banco acusaram o executivo de assédio. Com os fatos em alta, as mulheres que acusaram o ex-Global de assédio resolveram falar sobre os fatos, desejando apoio e falando sobre o desafio e coragem de denunciar os atos.

“Nós não sabemos seus nomes, mas conhecemos e respeitamos a sua coragem. Sabemos como foi difícil passar por tudo o que vocês passaram. Os assédios, as pressões, as ameaças. E a força que foi necessária para romper o silêncio e fazer as denúncias. Conhecemos os desafios que aparecem ao enfrentarmos um homem em posição de poder, que usa a sua força e o seu cargo para constranger e calar as pessoas”, diz um dos trechos do documento.

“E como foi importante revelar a verdade e desafiar o poder. Ao fazer isso, vocês não apenas se defenderam, mas protegeram outras mulheres que poderiam ser vítimas do mesmo assédio”. Em um outro pedaço da mensagem, as mulheres reforçam que a batalha ainda não terminou. “A luta de vocês não acabou. Estejam preparadas, porque as próximas batalhas serão tão ou mais duras.”

Confira a carta aberta:

“Às mulheres que denunciaram o assédio sexual na Caixa Econômica Federal. Nós não sabemos seus nomes, mas conhecemos e respeitamos a sua coragem. Sabemos como foi difícil passar por tudo o que vocês passaram. Os assédios, as pressões, as ameaças. E a força que foi necessária para romper o silêncio e fazer as denúncias.

Conhecemos os desafios que aparecem ao enfrentarmos um homem em posição de poder, que usa a sua força e o seu cargo para constranger e calar as pessoas. Mas vocês falaram. Vocês foram às autoridades, contaram suas histórias, mostraram sua verdade. O medo de falar é enorme, sabemos. Mas a coragem para romper o silêncio é maior ainda.