Marcelo Adnet debocha de Bolsonaro após polêmica com Milton Ribeiro

Vitor Caique

O humorista a apresentador Marcelo Adnet se manifestou na tarde desta sexta-feira (24), nas redes sociais, mostrando que faz uma paródia sobre uma notícia que gerou polêmica na web, a conversa entre o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-ministro da educação Milton Ribeiro. Adnet resolveu falar sobre o Ministério Público Federal (MPF), que apontou que houve indícios de vazamento da operação da Polícia Federal contra Ribeiro e possível interferência ilícita de Bolsonaro nas investigações da polícia federal.

Marcelo Adnet debochou os políticos ao simular uma ligação de Bolsonaro para o ex-ministro da educação, dizendo que o presidente teria visto em uma bola de cristal que os “Prato Feito”, codinome em referência à Polícia Federal, iriam na casa de Milton Ribeiro, buscar versículos em notas de 200 que está escondido. A frase usada pelo humorista é uma referência às suspeitas de pagamento de propina para liberação de verbas do MEC, por meio da venda de bíblias, segundo investigações.

A notícia sobre a polêmica entre Bolsonaro e Milton veio à público por um áudio obtido pela GloboNews, onde Milton Ribeiro afirma, em ligação com a filha no dia 9 de junho, que o presidente teria lhe dito que iriam fazer uma busca e apreensão em sua casa. Os indícios de vazamento foram encontrados nas interceptações telefônicas do ex-ministro e apontado pela Polícia Federal. Com a possível interferência do presidente, as investigações foram encaminhadas para o STF.

Com o humorista global caçoando da situação, diversas pessoas comentaram sobre o momento, rindo e tirando o sarro do deboche de Marcelo Adnet, que não perdeu a chance de fazer piada. “UAHEUAHEUHAUE a parte mais genial foi ‘minha fonte de cristal’ pq o imbecil não consegue falar nada certo ex: falar boto a cara no fogo ao invés de falar mão. Imagina esse esterco cantando… Deve trocar todas as letras”, comentou um seguidor. “Hahahahah hahahahah só rindo, mas é uma tragédia ter agentes que teriam ser de Estado e servir ao Brasil, servindo a uma quadrilha de criminosos, com ajuda de criminosos da Polícia Federal”, disse outro fã do artista.