Comportamento abusivo

Áudios revelam tratamento abusivo de ex-presidente da Caixa com funcionários

Vitor Caique

O executivo Pedro Guimarães pediu demissão da presidência da Caixa recentemente, o fato ocorreu após ele ser acusado de assédio sexual por funcionárias da instituição financeira brasileira. Pedro é um dos aliados mais próximos do presidente Jair Bolsonaro, e estava no cargo executivo desde o início do mandato do chefe de estado, em 2019.

O ex-presidente do banco chegou ao governo por conta de uma relação muito próxima com Bolsonaro, além disso, e mesmo amigo do ministro da Economia, Paulo Guedes. Antes de iniciar seu cargo na Caixa, Pedro Guimarães era um dos sócios do banco de investimentos Brasil Plural. Porém, as denúncias de assédio sexual, e agora com áudios de seu comportamento agressivo em reuniões de trabalho, ele se afastou e está sendo investigado.

Algumas gravações de reuniões na Caixa Econômica Federal, divulgadas na última quinta-feira (30, no portal Metrópoles, mostram o ex-presidente do banco falando diversos palavrões e ofensas durante uma reuniões corporativa, cometendo assédio moral com mais funcionários do local.

Áudios polêmicos

De acordo com o portal Metrópoles, no primeiro áudio divulgado, Pedro Guimarães reclama de ter perdido cargos em conselhos executivos que ocupava como presidente da Caixa. “Qual que é a vontade? Porra, eu acho que quem está torcendo para o Lula, vocês se f*… Voltar a Caixa a ser estuprada por aqueles ladrões, e vocês se f*…”, diz o ex-presidente do banco, no áudio.

Na mesma reunião, o executivo ainda pede para um auxiliar anotar os CPFs das pessoas presentes, com intuito de punir as pessoas, caso o que foi falado na reunião vazasse. Ele dá a tarefa de anotar os CPFs para Celso Leonardo Barbosa, vice-presidente da Caixa. “Quem for o responsável, vai deixar de ser, ou vice-presidente, ou diretor, ou superintendente nacional, ou gerente nacional. Então, Celso, é para você essa, porque o Velcro é p*… mole. Eu quero isso no detalhe. Quero os CPFs de todo mundo”, ameaça Pedro.

Em outro áudio, Pedro Guimarães reclama das decisões que foram aprovadas pela diretoria da Caixa e que não passaram por sua avaliação. “Não é aceitável. E de novo: cag*… para a opinião de vocês, porque eu que mando. Então, eu não estou perguntando. Isso aqui não é uma democracia. É a minha decisão”. Em outro momento, o amigo de Bolsonaro se queixa de decisões tomadas sem seu aval, dizendo que atitudes como essas poderiam custar o cargo dos funcionários.

“Vocês são malucos, porque vocês só têm a perder. Cara, são malucos. Não tenho que ligar para ninguém. Se eu não dei o ok, não dei o ok e acabou. É ‘não’. Por que vocês vão tomar o risco de perder a função, cara, por uma coisa que eu não autorizei?”, afirma o ex-presidente da Caixa, que em diversos momentos se mostrou abusivo em suas relações com funcionários, segundo gravações divulgadas.