PRECONCEITO NA TV

MC Trans detona transfobia de Luiz Esteves na Record: ‘Imbecil’

Adriel Marques

Luiz Esteves, atual substituto de Erlan Bastos, após o pedido de demissão do jornalista deu um show de transfobia ao vivo no Balanço Geral Ceará. O apresentador da atração pecou ao vivo e não se desculpou com o público. O comentário feito no ar e transmitido pela TV Cidade – Fortaleza, revoltou o público do sofá e internautas que acompanhavam a programação. Famosos também lamentaram a falta de posicionamento da emissora e o discurso preconceituoso do comunicador, que deveria ser um exemplo para a população. É o caso da cantora e apresentadora MC Trans, que por meio de uma transmissão ao vivo, detonou a postura do famoso.

“Sempre [tenha] um pé atrás antes de começar um relacionamento. Por trás de um perfil, de uma foto da internet. Um colega nosso aqui se deu mal, quase. Não vou nem dizer o nome. Ele entrou no aplicativo achando que era uma coisa, quando chegou lá viu que era um travesti. Pois é. Fique atento, tá?”, disse Luiz Esteves no Balanço Geral Ceará.

MC Trans não se calou e fez uma live no Instagram, expondo a transfobia do jornalista: “Parabéns, Rede Record! Parabéns, Balanço Geral do Ceará! É isso aí. Vários profissionais LGBTQIA+, vários artistas trans, apresentadores e pessoas que não cometem esse tipo de transfobia, preconceito, falta de informação, que fica aí incitando o ódio contra pessoas trans e vocês colocam um palhaço transfóbico. Porque pra mim isso é um palhaço, não é nem um profissional. Porque eu acho que pra você ser um apresentador, o mínimo que você precisa aprender a falar é o português. Então já vou começar lembrando pra você que não é o travesti, é a travesti anta. Não existe o travesti, é a travesti, ok?”.

“Eu não vou compartilhar o vídeo inteiro porque dá nojo. Essa pessoa só pode ser imbecil, alias, um imbecil transfóbico. Agora eu vou te perguntar uma coisa Luiz Esteves. Você com 231 mil seguidores, pessoas que devem ser igual a você, né? Você que é do Ceará, você sabia que foi em Fortaleza que a Dandara foi brutalmente assassinada? Você sabia disso querido? Você sabia que o Ceará é um dos estados que pessoas trans, mais migram para o Rio de Janeiro e São Paulo, chegam aqui e muitas das vezes são cafetinadas? Não sobrevivem para contar suas histórias?” , continuou MC Trans revoltada.

Indignada com a afiliada da Record TV em Fortaleza, TV Cidade, MC Trans deu o recado para o canal e o jornalista Luiz Esteves: “Você sabia que quando você entra em um programa de televisão e televisão aberta, você fala que o seu amigo do programa precisa ter muito cuidado ao entrar em um aplicativo, porque chegando lá pode ser um travesti não respeitando primeiro porque é a travesti. Quando você coloca que isso é um perigo pra quem está conhecendo uma pessoa trans, você ri, você faz chacota disso em um estado que matou Dandara, que historicamente foi uma das coisas horríveis para o universo trans. Ela foi brutalmente assassinada, e aí a Record deixa passar isso? Parabéns, Record!“.

“Aí eu falo pra vocês, um programa que era incrível e tinham apresentadores maravilhosos. Eles tiraram o Erlan Bastos que era um apresentador que apoiava a minoria LGBTQIA+, mas o problema não é nem esse. O problema é que como a Record em pleno século 21, era da militância, a transfobia matando pessoas e a informação estando aí pra qualquer pessoa, me coloca um urubu, um abutre desse? Eu queria que vocês me dissessem. Tem um tempão que não me posiciono aqui, não milito aqui porque é muito desgastante pra mim. Quando me marcaram nesse vídeo fiquei chocada”, complementou MC Trans.

A influenciadora digital e cantora não poupou críticas: “Você reporterzinho de meia tigela, apresentador de nada, você está incentivando pessoas a cometerem o crime da transfobia. Pessoas trans podem morrer por sua causa, você está incentivando”. Até o momento o canal não emitiu um comunicado oficial sobre o ocorrido. O jornalista também não se desculpou.